top of page
  • Ana Pinto

Viver sem Julgamento. É possível?



O julgamento é o prato do nosso dia-a-dia. Mesmo sem darmos conta, estamos constantemente a fazê-lo a tudo o que se passa à nossa volta, aos outros e a nós próprias.

E do mesmo prato recebemos de volta: somos julgadas pelo mundo e pelos que rodeiam a nossa vida. Hoje em dia as regras do bom senso deixaram de existir, e as palavras transformam-se em armas verbais, que ecoam a fraca tolerância e respeito pelo interior de cada um (incluindo o nosso), acabando por tornar a Vida de Todos num ciclo vicioso de ansiedade e frustração.


Sendo o julgamento o prato do nosso dia-a-dia, também ele vai contribuindo para a nossa ansiedade prolongada, pouco natural mas muito comum atualmente. Se sentes que andas constantemente agitada, com respiração acelerada e qualquer acontecimento te causa frustração e alguma raiva, sabe que isso não é natural. Podem existir momentos ou situações que nos podem deixar aborrecidas, mas se se torna a regularidade do nosso dia-a-dia, é preciso agir!


 

É aqui que entra o Yoga, quando nos convida a parar para observar, refletir e respirar.

O Yoga convida-nos a regressar ao nosso estado natural de observarmos o mundo sem julgamento, através do desenvolvimento saudável da nossa Intuição.


A Intuição é a nossa capacidade de observarmos o Mundo sem qualquer influência das nossas emoções. Na verdade esta capacidade é bastante natural em nós, mas conforme nos vamos tornando adultos, esta vai sendo cada vez mais influenciada pela nossa história de vida. Aos poucos vamo-nos agarrando a todas as nossas experiências e na forma como nos sentimos em relação a elas, e vamos moldando a nossa visão e perceção do mundo, acabando muitas vezes por generalizar situações idênticas. Colocando situações, experiências e pessoas em caixinhas com rótulos de: boa vs má, feia vs bonita, agradável vs desagradável, certo vs errado que basicamente são… Julgamentos.


Na verdade a nossa história de vida é importante, porque é através de todas as experiências, relações e acontecimentos que vamos crescendo e amadurecendo. Mas a nossa história não conta a verdade dos outros e do mundo. A forma como o observas é influenciada pela tua visão, mas esta não é a Verdade Absoluta.


O mundo é apenas um, mas pode ser visto e vivido de formas muito distintas. Então eu pergunto-te… Vale a pena julgar a nossa vida e a dos outros?


Já ouviste com certeza inúmeras vezes de que nós não somos aquilo que pensamos, não somos aquilo que sentimos. E é a mais pura das verdades! Os nossos pensamentos e emoções são como ondas. Vão e vêm. Mas tu permaneces cá, enquanto eles circulam à tua volta e dentro de ti. E muitas vezes a velocidades que nos estremecem.



Então, de que forma o Yoga te pode ajudar a aliviar a tua necessidade de Julgamento?

Libertar tensões emocionais

Para quem já é minha aluna isto não é uma novidade. Mas existe sempre um momento nas minhas aulas (sejam estas mais ativas ou passivas) em que te vou encaminhar a libertares-te das emoções que te causam ansiedade: sejam estas em forma de pensamentos, memórias ou expectativas. O propósito é convidar-te a reconheceres que no momento da prática esses pensamentos devem ser libertados, para que possas desfrutar do momento presente.


Regressar à contemplação

Toda a prática te influencia a contemplares, isto é, a observares o teu corpo e toda a prática sem questionares, analisares ou controlares o momento. É necessário voltarmos a admirar, sem procurarmos constantemente respostas e aceitarmos que a vida é o que é.


Trazer o conhecimento de dentro para fora do tapete

Conforme vais tendo regularidade nestas práticas de contemplação, e conforme a libertação de tensões se torna parte integrante da tua vida, torna-se natural tu transportares estes ensinamentos para fora do tapete: na forma como interages e lidas com os outros e na forma como falas e observas o que te rodeia. Lentamente regressas à admiração do belo, escolhes ver o lado positivo da vida, e aceitas a vida tal como ela é. Entendes que cada um tem a sua visão do mundo consoante a sua história de vida, e que está tudo certo.




A verdade é que não podes apagar a História da tua Vida e viveres inteiramente livre da sua influência. Mas podes escolher a forma como influencia a tua vida e a perceção que tens do Mundo e dos Outros.

30 visualizações
bottom of page