• Ana Pinto

Abraço o Presente




Encontro-me hoje no meu Presente.

E para trás deixo muitas portas seladas.


Memórias que foram ocupando demasiado espaço em mim.

Recordações que muitas vezes bloquearam a minha verdadeira essência.

Experiências que deixaram de fazer sentido.

Visões do Mundo, dos outros e de mim, que já não penso.


Aos poucos vou-me afastando do meu Passado.

E permito-me conhecer por fim, a minha verdadeira natureza.


Conforme encerro algumas portas, vou abrindo espaço para outras que surgem.

E que trazem outras experiências, novas emoções.


Algumas portas permitem-me sentir mais compaixão por mim e pelos outros.

Outras permitem-me encontrar algum perdão e por fim, a tranquilidade interior.


Vão sempre existir portas que se abrem ou se fecham.

E é preciso sentirmo-nos seguros de que a vida é assim.


.


Fecha os teus olhos. Coloca as mãos sobre o teu peito.

Sente o conforto a crescer dentro de ti através da tua respiração.

Profunda. Serena.


E confia. Está tudo certo.

É a vida na sua plenitude.


Existe uma intuição muito natural em nós, que nos diz no tempo certo que é necessário agir, que é preciso deixar ir, e que nos pede para escutarmos essa parte de nós que quer apreciar a vida puramente.


Então não tenhas medo.

Não te preocupes demasiado.

Agarra-te à coragem e confia.


Há muito mais para além do teu passado cá fora.

Permite-te viver plenamente.


Aqui e Agora.



(Inspirado nas leituras de Louise L. Hay)

43 visualizações