• Ana Pinto

5 Dicas para uma Pausa Pessoal



Muitos de nós já sentiram a necessidade de parar por tempo indeterminado a rotina que tantas vezes nos causa ansiedade. Sentimos que devemos fazer as mudanças necessárias para melhorar o nosso bem-estar, mas na grande maioria das vezes não sabemos por onde começar. Permitirmo-nos parar por breves instantes torna-se muitas vezes num processo necessário para reorganizarmos o rumo que a nossa vida leva, e fazermos novas escolhas para preservar o nosso maior tesouro: a paz interior.

Não existe uma duração certa para este momento de pausa. Pode existir necessidade de ser apenas um dia, um fim-de-semana, um mês ou até um ano! Irá certamente depender do nosso estado mental e espiritual e do quanto nos queremos transformar. Seja num retiro programado, numa viagem pessoal ou mesmo na nossa casa, podemos sempre converter cada ação numa prática espiritual, aprendendo assim a direcionar os pensamentos para um propósito bom. Neste caso, para a nossa paz interior.

Na minha curta experiência de vida, organizei muitos retiros pessoais para mim própria, sem nunca me envolver em programações. E por isso posso e devo apenas falar do que vivi. Tive experiências muito diversas:

Momentos de pausa que duraram um único dia no campo perto da minha casa. A pé ou de bicicleta, e na mochila um piquenique simpático, um livro e a máquina fotográfica para captar as flores do campo; Fins-de-semana prolongados, por norma no interior do país, dedicado aos meus hobbies: caminhadas, leitura, meditação, apreciar o nascer e o pôr-do-sol, acampar; Trilhos de mochila às costas durante quinze dias ou mesmo um retiro espiritual, sem contato social, que durou aproximadamente um mês e meio.

Mas todas estas experiências tiveram sempre algo em comum e que contribuiu não só para o meu crescimento pessoal, mas também para uma maior espiritualidade, amor próprio e confiança naquilo que sou e no que posso criar junto dos que me rodeiam.

1. Comunicações reduzidas ao essencial.

Em todas as minhas viagens esta foi de longe a decisão mais importante. Sem ligação à internet e partilhando com os familiares o básico, o telefone existia apenas para me dedicar à fotografia. Ao nos mantermos distanciados por breves momentos de tudo o que nos é familiar, permite-nos uma maior liberdade para estarmos connosco próprios e prestarmos atenção plena ao momento que estamos a viver. Quanto mais nos afastarmos do mundo digital mais capacidade temos para de facto nos envolvermos humanamente com o que nos rodeia.

2. Pausa Pessoal… é mesmo pessoal!

Termos tempo para nós significa muitas vezes estarmos de facto apenas connosco. Sendo por isso um ato de coragem por assumir e aceitar que também merecemos ter um momento dedicado ao nosso Eu Interior. E este lugar pertence-nos apenas a nós próprios, e por isso deve ser cuidado apenas por nós, para que seja sempre um lugar de tranquilidade e o nosso porto seguro.

3. Escolha consciente do que vais captar.

Seja através de um livro, de uma música ou do tipo de locais que pretendermos frequentar, é importante termos em atenção o que vamos absorver ao longo deste momento. Somos constantemente influenciados pelo que observamos, pelo que lemos ou pelo que ouvimos. O importante é termos sempre consciência, e escolhermos o que de melhor esse momento nos pode dar, para nos influenciarmos de formas positivas.

4. Meditação.

A meditação é o momento onde nos vamos descobrindo a cada momento. É o melhor presente que podemos proporcionar à nossa mente, para uma Atenção Plena. É graças à meditação que podemos viver o momento presente, sem sentirmos por isso necessidade de nos projetarmos num futuro inexistente ou regressarmos a memórias ou recordações que tantas vezes nos causam desconforto.


“Meditation could be said to be the Art of Simplicity: simply sitting, simply breathing, and simply being." - HH Dilgo Khyentse Rinpoche


5. Escrever para não esquecer.

Com o regresso à nossa rotina, é natural que com o tempo toda a experiência se torne numa memória longínqua. Escrevermos sobre a nossa experiência e os nossos sentimentos é um bom método para colocarmos os nossos pensamentos em ordem. E será graças a esses pormenores que podemos ter a prova viva da nossa transformação interior.


“Pense no bem, e estará bem. Pense no mal, e estará mal. Tudo é resultado do seu pensamento. Nas nossas vidas, devemos sempre pensar bem. Treine os seus olhos para ver o lado positivo de tudo." - Swami Satchidananda


47 visualizações